Depilação íntima


Por Laura Folgueira | Tudo sobre depilação - Yahoo! Brasil – 

Cuidado e higiene se quiser deixar a área íntima nua em pelo (literalmente) (Foto: Thinkstock)
De uns tempos para cá virou moda a depilação que lá fora já é chamada de "brasileira" e que acaba com todos os pelos da área genital. Mas será que é uma boa ideia acabar com essa proteção natural criada pelo nosso corpo? Segundo a maior parte dos médicos, não.

"Depilar-se completamente não é boa conduta porque os pelos pubianos têm função protetora — barrar a entrada de micro-organismos que causam infecções e reduzir a chance da mulher desenvolver vulvovaginites provocadas por fungos e bactérias", explica a ginecologista Denise Coimbra.
Isso não significa, é claro, que não se pode retirar pelos em excesso ao redor da virilha, especialmente. A depilação com cera pode, sim, ser realizada, "mas é necessário verificar sempre como a cera é preparada e se materiais como espátulas e pinças são esterilizados corretamente. Prefira as ceras descartáveis, que oferecem menor risco de contaminação", alerta a médica. Prestar atenção na temperatura também é boa dica, já que ela pode acabar machucando a pele e criando uma ferida que vira porta de entrada para infecções oportunistas.
Para quem prefere os cremes depilatórios, a médica também recomenda cautela: "Deve ser passado apenas na região externa, pois contém substâncias que podem causar alergia".

Quatro dicas para depilar a região genital:

  1. Não retire todos os pelos: os que ficam mais próximos à entrada da vagina podem ser apenas cortados.
  2. A cera descartável é a mais recomendada: com ela, não há perigo de contaminação.
  3. Verifique, como sempre, se espátulas e pinças são esterilizadas: esse fator deve ser crucial na escolha do seu salão.
  4. Cuidado com os cremes depilatórios: antes de usar em uma área tão sensível, faça um teste de sensibilidade, passando a substância no antebraço e esperando 24 horas para observar a reação

POSTAGENS MAIS ACESSADAS